segunda-feira, 7 de março de 2011

Nunca Diga Nunca


Uma das coisas que eu sempre procurei fazer na minha vida foi jamais tomar decisões definitivas. Sabe, o velho "não cuspir pro alto, pois cai na testa". Eu sempre procurei nunca dizer nunca para alguma coisa.

Primeiro porque não sabemos o dia de amanhã e depois, as coisas, as situações, mudam. O mundo não é estático. Todos os dias, mesmo o sol nascendo sempre no oeste e se pondo no leste (é isso, não é?) ou permanecendo em nossas rotinas, podemos perceber algo diferente.

E eu também procuro não ser preconceituosa. Afinal, quem sou eu pra julgar alguém ou alguma coisa, não é mesmo? É claro que eu não sou perfeita e às vezes eu me pego julgando alguém. Sou humana, e seres humanos erram. Mas, tento reconhecer meus erros e minhas falhas e seguir em frente.

Mesmo assim, eu me senti indo pro cadafalso quando a Val me pediu pra ver o filme do Justin Bieber "Never Say Never". Ídolo teen, um moleque quase da idade do meu filho mais velho, cantando e dançando enquanto as menininhas ficam gritando e se descabelando? Ah meu deus, por que diabos resolveram fazer um documentário sobre essa criatura? Só falta ela me pedir pra comprar a biografia dele na livraria!

Ok, eu entendi o porque do título ser "nunca diga nunca". E percebi isso ainda nos primeiros dez minutos do filme.

Sim, ele é um ídolo teen. Sim, ele tem quase a mesma idade do Pedro. Sim, as garotas gritam e se descabelam por ele. Mas tenho que admitir que Justin Bieber não é só isso. Sim, ele é um rostinho bonito. Porém ele não apareceu do nada, não foi "fabricado". Tem talento e trabalha duro para conseguir o que quer. Afinal, o sucesso só vem para quem se empenha.

É claro que eu não vou me tornar uma Biebermaníaca, mas não vou impedir a Val. Afinal, eu também tenho os meus ídolos. E eu prefiro que ela o admire, toda a dedicação que mostra, todos os dons que ele tem, do que pessoas preconceituosas.

Bom, essa foi a minha lição do dia, uma que eu já sabia, mas pelo visto tinha esquecido: NUNCA DIGA NUNCA, você pode se arrepender.

1 comentários:

Nikelen disse...

Adorei o post amiga, embora não tenha mudado a minha ideia (lembre-se que num mundo de menudetes, eu era anti-menudete, então, sou coerente, rsrs). Mas adorei o fato de vc ter conseguido dividir algo com a Val, isso só me faz admirar a mãe incrível que vc é.

Bj

Postar um comentário